domingo, 25 de agosto de 2013

Continuar a greve - riscos e oportunidades

Creio que não devemos parar a greve na segunda-feira. Esboço abaixo uma breve análise do que está em jogo caso aceitemos o (pré) acordo firmado na sexta-feira.

O que ganhamos efetivamente: nada de concreto.

O que perdemos até agora: nada.

O que arriscamos perder futuramente: alguns dias de salário. É tão trágico assim?

Qual é nosso trunfo: os dias que já ficamos (e ficaremos) parados. A SME precisa fechar os 200 dias letivos e sabe que não conseguirá cortando o ponto!

Reitero: não houve vitória. Estamos tão desmoralizados a ponto de achar que o prefeito fazer o MÍNIMO, negociar conosco, já é uma vitória?

Acabar a greve na segunda não é vitória. É derrota, e dos piores tipos: rendição sem luta.

Ninguém nos feriu ainda, e já vamos nos render? Não sacrificamos efetivamente NADA, e já vamos nos render? Nosso medo é tão grande assim?! Nosso egoísmo é tão grande assim?! Nossos ideias são tão superficiais?! Espero que não!

Não há verdadeira vitória sem verdadeiros sacrifícios, sem verdadeiras ansiedades e sem verdadeira coragem.

Como inspiração, esses trechos do filme Gandhi, retratando bastante fielmente a corajosa luta dos indianos por igualdade perante a lei na África do Sul...

Nenhum comentário: