Siga a Oficina no seu e-mail!

quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Crivella, Freixo e as desilusões político-amorosas

Todo mundo já teve desilusões amorosas, mas a maioria das pessoas continua buscando novos relacionamentos. Carlota terminou com Albertino, mas vai namorar com Eudóxio - ela sabe que Albertino e Eudóxio são pessoas diferentes, e pode ter expectativas diferentes. Algumas pessoas casam 1 ou 2 vezes, e acertam na segunda. Outras tentam ainda 3, 4, até 5 vezes. Até dar certo - ou não. Outras ficam tão traumatizadas pelas frustrações que desistem: preferem ficar sozinhas.

Freixo não é o Lula, e o PSOL não é o PT. Por medo, acabamos "casando" por 4 anos com o Crivella (e Garotinhos, Bethlem etc). Fizemos como aquelas pessoas inseguras que vivem desatando e reatando um relacionamento que nunca deu certo, por medo do novo. Fizemos como aquelas mulheres que sofrem em relacionamentos abusivos, mas aceitam sempre o sacana de volta porque ele trouxe um buquê de flores na mão e um bocado de promessas vazias na boca - mas AGORA vai ser diferente: ele prometeu que vai "cuidar" da gente... Fizemos como aquela amante sem autoestima, esperando eternamente o prometido divórcio que nunca chega - o povo é uma boa amante para seduzir nas eleições e transar nas horas vagas, mas bom mesmo é o casamento seguro com os megaempresários e alianças partidárias. Crivella chega como aquele "galant" de fala mansa, sorriso dourado, cantada suave... É moço religioso, de boa família...

Assim começam muitos casos de violência doméstica...

Nenhum comentário: