Siga a Oficina no seu e-mail!

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

40 centavos - Coisas grandes e pequenas

Nesta sexta-feira pretendo ir ao 5º Ato contra o aumento das passagens. Por quê? Vale o esforço e o aborrecimento? Vale enfrentar a truculência policial por isso?

40 centavos não parecem nada; em termos meramente financeiros, não são nada. Mas a questão não é financeira, é política. Trata-se de mandar uma mensagem aos senhores Eduardo Paes e Pezão.

O aumento da passagem parece uma questão pequena. No entanto, as piores usurpações geralmente começam de modo lento e gradativo, nas "coisas pequenas". Começamos abrindo mão dessas coisas pequenas, justamente porque elas são "pequenas e sem importância", e abrimos cada vez mais espaço para que os tiranos ajam tranquilamente. Vendo a apatia popular, eles se sentem encorajados a coisas piores. Terminamos abrindo mão das grandes porque perdemos a força de resistir. Quando engolimos sapos passivamente, resmungando de lado, mas obedecendo, damos aos tiranos o poder para enfiar sapos cada vez maiores em nossas goelas.

Não é por 40 centavos, é por princípios. É para mostrar aos senhores prefeito e governador que eles não podem nos esmagar sob qualquer arbitrariedade. É para reafirmar e construir o poder do povo, para defender os alicerces da democracia.

E a democracia vale muito mais que quarenta centavos...

Um comentário:

Fred Oliveira disse...

Acho que o protesto é válido. Há uma caixa preta em torno do real faturamento dessas empresas. As planilhas não devem chegar nem perto dos custo operacionais e dos lucros reais dessas minas de ouro. Me aborrece, no entanto, que após o protesto fique a amnésia em época de eleição...