Siga a Oficina no seu e-mail!

sexta-feira, 7 de abril de 2017

Prioridades e proporções

Vejo que o suposto "golpe" causou muito mais celeuma em certos círculos acadêmicos que a morte da jovem Maria Eduarda.

Parece que para alguns "intelectuais" a deposição de um governo visceralmente comprometido com o que há de mais vil na política brasileira causa mais comoção que a morte de uma estudante uniformizada dentro de uma escola. DENTRO DE UMA ESCOLA.

Parece que a condução coercitiva de um político que comeu nas piores gamelas comove mais que a morte de uma inocente, pouco mais que uma criança. Uma menina que morreu antes mesmo de amar, diria Victor Hugo.

Que senso de revolta deslocado é esse...?!

Parece que defender aqueles que supostamente defendem os pobres e vulneráveis conta mais que defender os pobres e vulneráveis propriamente ditos!

Quem paga a bolsa rege o coro...?! Quem leva a cenoura tange o burro...?!

Nenhum comentário: