quinta-feira, 13 de abril de 2017

Analfabetismos

Brilhante texto do amigo Vinicius Borges sobre as angústias culturais e sociais da hora presente

Enquanto vejo acaloradas discussões referentes à urgente necessidade de inserção das questões de gênero em nossa base curricular nacional pipocando em minha taimelaine, muitas (certamente a maioria) de nossas unidades de ensino seguem seus trágicos destinos em avançado processo de precarização estrutural e conceitual, formando de maneira sistemática - com as sempre muitas, louváveis, brilhantes e admiráveis exceções - verdadeiros exércitos de analfabetos funcionais terrivelmente incapacitados de lidar com algumas das mais simples questões quando postas em discussão em uma sala de aula... 

Eu tenho plena noção de que a educação pública não faz parte da agenda revolucionária facebookiana, mas, como professor da rede municipal do Rio de Janeiro, entendo que, com toda a relevância que o tema possui, esse debate tem sido trabalhado desde o início de forma um tanto equivocada por parte de nosso "campo progressista"... 

De que adianta tamanha luta para alinhar nossas diretrizes curriculares às vanguardas do século XXI em um contexto onde não conseguimos oferecer aos nossos estudantes nem mesmo o que já seria considerado apenas o mínimo nos séculos XIX e XX para as sociedades que realmente entendem a educação como um bem estratégico para o seu desenvolvimento? 

Documentos modernos e cheios de boas ideias não têm faltado na história recente da educação no Brasil... Mais do que qualquer coisa, precisamos lutar para que nossas crianças tenham direito a uma alfabetização plena, para que nossos adolescentes possam desenvolver a partir da escola pública uma consciência crítica e cidadã a respeito da realidade que os cerca, que todos possam fazer isso em ambientes seguros e confortáveis... 

Façamos isso e nossos jovens terão todo um mundo para problematizar e transformar...

Nenhum comentário: