Siga a Oficina no seu e-mail!

quinta-feira, 17 de março de 2016

O silêncio da guerra

"Outra lição duradoura da história é que é sempre mais fácil promover a guerra que a paz, e mais fácil pôr fim à paz do que à guerra, porque a paz é frágil e a guerra é durável. Uma vez que os primeiros tiros tenham sido disparados, aqueles que se opõem à guerra são simplesmente rotulados de traidores. Todo o debate termina quando os primeiros tiros são disparados, portanto disparar tiros é sempre um modo eficaz de pôr fim ao debate. O silêncio pode não durar por muito tempo, como demonstraram a Guerra de 1812, a Primeira Guerra Mundial, a Guerra do Vietnã e a Guerra do Iraque, todas impopulares, mas há sempre um momento de silêncio forçado quando o debate e a crítica são banidos, e esse momento dá no mínimo uma vantagem temporária aos promotores da guerra".

(Trecho do livro Não-violência: a história de uma ideia perigosa, de Mark Kurlansky; o livro nem é muito bom, mas essa passagem traz reflexões interessantes para o momento atual)

Nenhum comentário: