Siga a Oficina no seu e-mail!

sexta-feira, 13 de maio de 2016

"Não se rende à chuva"

Poema de Miyazawa Kenji

Não se rende à chuva
Não se rende ao vento
Não se deixa render por neve nem calor de verão
Tem um corpo forte e robusto
Não tem nenhum desejo
Nunca perde a paciência
Está sempre calmo a sorrir
Come quatro porções de arroz integral,
Missô e alguns vegetais por dia
Em todas as coisas
Não se importa consigo próprio
Aprende de ver e ouvir os outros
E nunca se esquece
Vive numa cabana coberta de palha
À sombra da floresta de pinheiros dos campos
Se houver uma criança doente no leste
Vai até lá e cuida dela
Se houver uma mãe cansada no oeste
Vai até lá e carrega-lhe o feixe de arroz
Se houver alguém prestes a morrer no sul
Vai até lá e diz-lhe para não ter medo
Se houver discórdia e litígio no norte
Vai até lá e diz-lhes para parar pois não vale a pena
No tempo de seca, derruba lágrimas
No verão frio, caminha todo confuso
É chamado por todos de "Cabeça de Bagre"
Nunca é elogiado
Ninguém se preocupa com ele
Este é o tipo de pessoa
Que eu almejo me tornar

Nenhum comentário: