domingo, 13 de novembro de 2011

Ainda sobre a ocupação da USP

A brutalidade policial em si é profundamente lamentável, não há nada que a justifique, mesmo contra o pior dos traficantes, assassino ou estuprador. No entanto, a comoção pela violência contra os estudantes de classe média da USP me lembra outros momentos da hipocrisia elitista de nosso país. Cito um eloquente trecho de Thomas Skidmore em "Uma História do Brasil", sobre a Ditadura Militar, tão veementemente citada nessas últimas semanas...

"A elite sempre fora capaz de permanecer na ignorância do verdadeiro funcionamento do sistema de justiça criminal, o que mudou com a guinada altamente autoritária em 1968, uma vez que o movimento de guerrilha era liderado principalmente por jovens insatisfeitos da elite, não por trabalhadores. [...] As forças de segurança interrogavam todos os suspeitos da guerrilha com os métodos que eram normais para criminosos comuns mas não praticados com a elite. [...] Elite e não-elite tinham o mesmo tratamento. Quando relatos desse tratamento brutal vazavam, as famílias das vítimas da elite ficavam verdadeiramente chocadas."

2 comentários:

Roger disse...

Bem meu camarada, aqui tenho que discordar. Em alguns casos a brutalidade se faz necessária mesmo que seja perpetrada por nossos infelizes policiais.

Mas é isso. Está tudo errado e temos muito trabalho pela frente. Admirável mundo velho com tantos imbecis nele.

Roger disse...

Polícia e Elite para quem precisa!