Siga a Oficina no seu e-mail!

terça-feira, 14 de junho de 2011

Leituras - "O planalto e a estepe", de Pepetela

Comecei a ler o livro hoje mesmo e ainda nem cheguei à metade; mesmo assim, já recomendo. Nunca tinha lido nada do famoso romancista angolano, mas já me apaixonei por sua belíssima prosa; o livro é daqueles que você pega e não quer mais largar (ao contrário de certo livro do Sarney que já disseram maliciosamente que quando você larga, não quer mais pegar...).

O livro conta a história de amor entre um angolano e uma mongol (mas ainda não cheguei nessa parte...). Até onde li, a narrativa em primeira pessoa conta as memórias do protagonista Júlio desde sua infância em Lubango, nos anos 40 até sua estadia de estudos em Moscou como "bolsista-revolucionário" nos anos 60.

O romance retrata com grande sensibilidade os caminhos e descaminhos do personagem, nos fazendo conhecer (e sentir) os conflitos e tensões de Angola pouco antes da descolonização através da figura angustiada de Júlio, jovem branco e pobre (um "mapundeiro", segundo o termo pejorativo usado na época, como aprendi no livro) num país dividido por duras assimetrias raciais e sociais. Seu indeciso percurso como "revolucionário" a favor da independência e do socialismo também compõe rico retrato do período em que a União Soviética ainda disputava com o "mundo livre" pela hegemonia global.

Recomendo entusiasticamente a todos os amigos!

2 comentários:

Druida Camulogenio disse...

P.S.: Concluí a leitura do livro; continuo a recomendá-lo com veemência!

Tiago M. Franco disse...

A história de amor entre as personagens é apenas um dos ingredientes deste livro. A reconstituição histórica é fantástica. Além de não a considerar uma obra-prima, também recomendo a leitora deste livro, pois é um bom livro.